Segunda-Feira, 6 de Abril de 2020

13/2/2020 - Campinas - SP

Nelson Hossri reapresenta projeto de lei criando multa pra quem solta fogos de artifício




da assessoria de imprensa da Câmara de Vereadores de Campinas

O vereador Nelson Hossri (Podemos) protocolou projeto de lei que estabelece multa para quem solta fogos de artifício, reapresentando uma proposta que havia sido rejeitada em Plenário no ano passado – um parlamentar pode reintroduzir a discussão de um projeto rejeitado em um ano legislatura diferente da que ocorreu a  rejeição (ou até no mesmo ano caso o faça com a própria assinatura acompanhada elas de outros 16 edis).

“Vou insistir em projetos que considero ser importantes para o município e espero o mínimo de bom senso e consciência por parte dos vereadores para que sejam aprovados”, defende Hossri. O vereador também já protocolou novamente , após a morte de mais um motorista em janeiro deste ano, o projeto que extingue o uso de adesivos nos veículos de transporte por aplicativo e que havia sido rejeitado anteriormente.

O parlamentar acredita que os PLs são de interesse do cidadão e que isso deve ser colocado acima de qualquer questão. “Não pode haver preocupação com quem apresentou a o projeto em vez de se avaliar o conteúdo, isso prejudica a população. O Plenário tem de se preocupar com o interesse coletivo”, completa.

Hossri também já reapresentou neste ano outros dois projetos que não tiveram êxito em 2019, um que cria a Política Municipal de Prevenção à Corrupção e outro que proíbe publicidade de atos administrativos sem relevância social.

Fogos

O projeto de lei protocolado agora pelo vereador Nelson Hossri inclui um parágrafo na lei 15.367/2017, que já proíbe a queima de fogos de artifício com barulho na cidade, mas que não possui nenhuma penalidade em caso de flagrante. Pelo artigo, a multa terá o valor mínimo de 100 UFIC’s (Unidade Fiscal de Campinas) e máximo de 500 UFIC’s, a ser estipulado de acordo com o caso. Atualmente, cada UFIC equivale a R$ 3,39.

“Os fogos com barulho afetam idosos, bebê, autistas, pessoas com Síndrome de Down e animais. Recebi representantes de entidades da área que defendem a aplicação de multa para que a lei seja cumprida, especialmente em datas comemorativas, como Natal, Ano Novo, festas juninas e em eventos esportivos”, explica o vereador.

Em 2016, o projeto de lei 168/14 foi aprovado por unanimidade pela Câmara, mas a multa de 200 UFIC’s foi vetada pelo Poder Executivo com a justificativa de que a infração não seguia o princípio da proporcionalidade, já que não seria possível aferir a quantidade de fogos de artifício utilizados e o nível do ruído provocado em cada caso.

A penalidade já é adotada em alguns municípios do país, como em São Paulo. Na capital paulista, a lei sancionada que proíbe o uso artefatos pirotécnicos com efeito sonoro ruidoso prevê aplicação de multa de R$ 2 mil.  Para o vereador, a lei que está em vigência hoje não é cumprida por falta de penalidade. “A lei que tem validade hoje se tornou uma lei morta, ou seja, não funciona na prática”, conclui.



Comunicar erro nesta notícia

Se você encontrou erro nesta notícia, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente ao Campinas Fácil.


Enviar esta notícia por email



Dogus Comunicação

Sobre a Dogus Comunicação  |   Política de Privacidade  |   Receba Novidades  |   Acesse pelo Celular

Melhor Visualizado em 1200x900 - © Copyright 2007 - 2020, Dogus Comunicação. Todos os direitos reservados.