Sexta-Feira, 22 de Março de 2019

14/3/2019 - Campinas - SP

Mesa redonda realizada na Câmara debate empreendedorismo negro na cidade de Campinas




da assessoria de imprensa da Câmara de Vereadores de Campinas

O vereador Carlão do PT, presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara de Campinas, reuniu nesta quarta-feira (13) representantes de diversas entidades ligadas ao empreendedorismo e ao movimento negro para uma mesa redonda sobre o chamado “Afroempreendedorismo” ou empreendedorismo desenvolvido por afrodescendentes, sobretudo na cidade de Campinas. Logo na abertura, Carlão destacou a importância de dar visibilidade ao empreendedor negro e garantir a ele mesmas oportunidades de acesso a políticas públicas, investimentos e qualificação.

“Propus a criação de um Programa de Desenvolvimento do empreendedorismo negro em Campinas há alguns anos. O projeto foi considerado inconstitucional, pois deveria ser iniciativa do Executivo. Isso me preocupa porque historicamente negros não tem o mesmo acesso a recursos, qualificação. Não basta termos o Dia do Empreendedor na cidade, precisamos de ações que garantam o acesso do empreendedor negro e precisamos que a prefeitura também faça parte desse movimento”, destacou o vereador.

Além do parlamentar petista, a mesa redonda contou com Vânia Aguiar Pinheiro, coordenadora da Casa do Empreendedor e representante da Secretaria Municipal de Trabalho e Renda; Rafael Pinto, Assessor Institucional da Reafro (Rede Brasil Afro empreendedor); e Edson Andrade, representante da Setec. Vânia destacou em sua fala que quer ampliar o diálogo da prefeitura com os grupos de empreendedorismo negro e oferecer um trabalho capaz de colocar os serviços de parceria do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) à disposição desse público.  

Já Rafael Pinto reforçou que desde 2001, quando o Brasil foi signatário de um tratado global para redução das desigualdades raciais, os movimentos negros vêm ampliando o diálogo no sentido de ampliação de políticas públicas para a promoção do empreendedorismo afro. “Em 2010 o Sebrae Nacional, que é a maior entidade do setor, não tinha dados e indicadores sobre o empreendedorismo negro, então entendemos que precisávamos criar esses dados. Implantamos o Projeto Brasil Afroempreendedor em 12 estados. O foco do Projeto é atuar na elaboração de planos de negócios, produção de conhecimento, formação - sobretudo de gestores - ,  formas de financiamento e criação de Políticas Públicas”, explicou o representante. 

Ele destacou ainda a importância de dar peso ao afro empreendedorismo. “A massa de empreendedores negros estava fora do radar do Sebrae. Somos 12 milhões de Afro empreendedores, 10% destes são empregadores. São cerca de 3 milhões de empregos gerados no país. Não podemos deixar esses números passarem despercebidos”, reforçou. 

Ao final do evento, Carlão reforçou que, ao se furtar a criar leis voltadas para o empreendedorismo negro, bloqueia-se o acesso destes ao orçamento público. “Historicamente nunca tivemos acesso ao orçamento públicos. Nós não concordamos com isso. Um estado unilateral aprofunda o racismo no Brasil. Esse é o momento de mostrar o poder do nosso mercado, a força do nosso consumidor, e justificar o desenvolvimento de políticas públicas voltadas para o fomento do empreendedorismo negro”, finalizou. 

O evento também contou com a presença do presidente da Câmara de Campinas, vereador Marcos Bernardelli (PSDB).   

 



Comunicar erro nesta notícia

Se você encontrou erro nesta notícia, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente ao Campinas Fácil.


Enviar esta notícia por email



Dogus Comunicação

Sobre a Dogus Comunicação  |   Política de Privacidade  |   Receba Novidades  |   Acesse pelo Celular

Melhor Visualizado em 1200x900 - © Copyright 2007 - 2018, Dogus Comunicação. Todos os direitos reservados.